A Carqueja, a erva medicinal brasileira

Sabe aquela plantinha que nasce fácil em qualquer lugar? Pois é, a carqueja é assim. Quem é do Sul, Sudeste e Centro do país sabe bem disso. Sempre tem um pé de carqueja ali no mato querendo aparecer. No litoral então, nem se fala!

Eu nunca dei muita bola para ela. Mas dias atrás, passei por um pezinho, nascido bem rente à janela da casa de amigos. E lá estava ele, todo florido. Parei para admirar a flor da carqueja, olha só:

Minúsculas flores de Carqueja

Minúsculas flores de Carqueja

WhatsApp Image 2017-07-31 at 7.46.04 PM

 

 

Resolvi então saber um pouco mais sobre essa plantinha que só conhecia de vista, no meio do mato, no cantinho de uma casa, como nome de bloco de carnaval (isso é sério! rsrs). E a minha surpresa foi saber de todas as propriedades da Carqueja. Na busca de informações confiáveis, encontrei no respeitado livro “Plantas Medicinais no Brasil” de Harris Lorenzi, conforme descrição a seguir:

“Essa planta é amplamente utilizada no Brasil na medicina caseira, hábito esse herdado de nossos indígenas que há séculos já faziam uso da mesma para o tratamento de várias doenças. O primeiro registro escrito do seu uso no país data de 1931, informando o emprego a infusão de suas folhas e ramos para o tratamento da esterilidade feminina e da impotência masculina e atribuindo-a propriedades tônicas, febrífugas e estomáticas. A partir dessa época, o seu uso aumentou, sendo empregado principalmente para problemas hepáticos (remove obstruções da vesícula e fígado), contra disfunções estomacais (fortalece a digestão) e intestinais (vermífugo). Algumas publicações populares a recomendam ainda para o tratamento de úlcera, diarreias, garganta inflamada, vermes intestinais, etc. É recomendado para afecções estomacais, intestinais e hepáticas, na forma de infusão, preparado adicionando-se água fervente a uma xícara (chá) contendo 1 colher (sopa) de suas hastes e folhas picadas, na dose de 1 xícara (chá) 3 vezes ao dia, 30 minutos antes das refeições. As diferentes propriedades atribuídas a esta planta na medicina tradicional vem sendo estudadas por cientistas e algumas já foram validadas como consequência dos resultados positivos obtidos.

As propriedades hepatoprotetoras, amplamente consagradas no uso popular, forma validadas num estudo farmacológico com animais em 1986 usando o extrato aquoso cru desta planta. As propriedades digestiva, antiúlcera e antiácida foram validadas num estudo com ratos, mostrando que esta planta reduziu a secreção gástrica e teve um efeito analgésico, antiúlcera e anti-inflamatório, foram mais uma vez comprovados por outro estudo. Um estudo clínico conduzido em 1967 mostrou a habilidade do extrato desta planta a redução dos níveis de açúcar no sangue, validando assim seu efeito hipoglicêmico”.

Arbusto de Carqueja

Arbusto de Carqueja

Foram catalogados diversos nomes populares da carqueja, muito variados inclusive: carqueja-do-mato, bacárida, bacórida, cacália, codamina, quina-de-codamine, tiririca-do-babado (na Bahia), carqueja-amargosa, carqueja-amarga, bacanta, carque, cacália-amarga, cacáia-amarga, vassoura (no Rio Grande do Sul) e vassourinha.

Pelo que pesquisei também, são três tipos de Carqueja: Baccharis trimera, Baccharis articulata e Baccharis uncinella, sendo as duas últimas mais encontradas no Sul do Brasil.

É ou não uma plantinha poderosa? Mais uma riqueza da natureza disponível para todos.

 

Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>